Terminou no passado dia um de maio o prazo que tinha começado no dia um de abril para que as instituições privadas sem fins lucrativos (o nosso Lar é uma instituição de economia social) pudessem apresentar na net a candidatura ao “Prémio BPI SENIORES 2016”.

Quando eu li, na tarde de quarta-feira, dia 6 de abril, a folha impressa do e-mail enviado ao Lar Familiar da Tranquilidade, imediatamente escrevi: “é urgente fazer candidatura”; de facto, a finalidade principal deste Prémio BPI SENIORES, a seguir exarada, condizia e condiz com o objetivo geral e fundamental do nosso Lar: “promover a melhoria da qualidade de vida e o envelhecimento ativo de pessoas com idade superior a 65 anos”; ora o Lar, desde que em 2012/2013 participou no projeto nacional FAS 2 (“Formação Acção Solidária”), luta por oferecer serviços de excelência nas suas três respostas sociais: Estrutura Residencial para Pessoas Idosas, Centro de Dia e Serviço de Apoio Domiciliário.
Em reunião extraordinária, ocorrida na manhã de sábado, dia dezasseis de abril, os diretores do Lar Familiar da Tranquilidade deliberaram fazer um empenhamento rápido na elaboração das respostas aos dados pormenorizados e exigidos pelo guia do formulário; por isso todos receberam fotocópia do respetivo regulamento do concurso. O que mais nos custou foi assumir as consequências da urgentíssima ampliação da sala de convívio dos nossos utentes que, além de serem idosos com muitas dependências, têm graves e perturbadoras demências.
O diretor Joaquim Lima indicou a sua sobrinha paterna, arquiteta Isabel Cristina Paraty, como responsável pela feitura imediata do projeto de arquitetura; seguiram-se diligências e reuniões em que tive a dita de sempre contar com a presença dos diretores: dr. Tiago Vilaça, Lino Alves e Joaquim Lima; muitas pessoas a quem lhes foi comunicado os nossos objetivos entregaram orçamentos (com validade de 30 dias) para que o dr. Rui Pereira, técnico oficial de contas da nossa instituição, pudesse fazer e justificar o plano financeiro, além de ter de preencher obrigatoriamente a evolução económica financeira e patrimonial do Lar.
Sendo eu o presidente da Direção, em boa hora indiquei a drª Elisabete Correia, psicóloga e Diretora Técnica do Lar (foto nº1) como responsável deste novo projeto e também como credível interlocutora da entidade promotora; foi ela que, na reunião do Conselho Pastoral Paroquial de Vila das Aves, ocorrida no passado sábado, dia trinta de abril, informou alguns pormenores que agora descrevo em forma de entrevista (foto nº2).
1ª pergunta: como explica a designação do projeto: “Faz sentidos”?
– Os Idosos poderão experimentar específicas modalidades sensoriais: a vista com a possibilidade de ler, ou ver não só televisão em plasma mas os familiares que estão longe; o ouvido, com audição de leituras ou músicas; o tacto, apalpando terra e flores nos canteiros elevados; o olfacto, percebendo e apurando cheiros; o gosto, convertendo simbolicamente o sentido do paladar pelo gosto de estar no nosso Lar. Todos estes efeitos sensoriais são benéficos e terapêuticos.
2ª pergunta: quais as caraterísticas inovadoras deste projeto?
– Espaço dedicado às nossas tecnologias de informação com acesso à internet.
– Canteiros elevados como espaço de jardinagem.
– Instalação do software de reabilitação cognitiva.
– Montagem do espaço de manualidades.
– Espaço para as visitas.
– Espaço para leituras.
– Espaço de relaxamento.
3ª pergunta: qual a duração da implementação deste projeto?
– Considerando que o início urgente e premente da obra de construção civil (que durará dois meses) será determinado pelos diretores na reunião ordinária que irá ocorrer na próxima sexta-feira, dia seis de maio, a implementação deste projeto durará cinco meses e envolverá várias atividades, designadas e calendarizadas na candidatura já submetida com sucesso. A Direção espera fazer a inauguração no sábado, dia um de abril de 2017, dia em que ocorrerá o vigésimo sétimo aniversário da abertura deste Lar a pessoas idosas; a Direção prevê organizar uma sessão cultural.
4ª pergunta: quais os custos previstos?
O valor total orçamentado é este: 54.723, 09 euros.
A comparticipação solicitada ao “Prémio BPI SENIORES”, de quem esperamos valiosa menção honrosa, está cifrada no valor de 22.273,09 euros; portanto o Lar terá de suportar o restante com fundos próprios.
5ª pergunta: como angariar receitas para este projeto?
Considerando que a nossa arquiteta Paraty prevê um painel com 126 azulejos, os nossos utentes irão escrever neles o nome das pessoas (ou firmas, associações, entidades) que partilharem o mínimo de setenta euros; imediatamente ficarão inscritos na Liga dos Amigos e Benfeitores do Lar, cujo presidente é o senhor Manuel Sampedro Carvalho, beneficiando da primeira anuidade gratuita que dará um desconto de 10% nos serviços prestados no Centro de Apoio/Lazer António Martins Ribeiro. Na mesma parede haverá uma galeria com quadros de fotografias de benfeitores que partilharem o mínimo de cinco mil euros.
Mas o diretor Joaquim Lima, como coordenador do Voluntariado no Lar, irá precisar de mais gente a dar tempo, presença, conforto e amor, como o Movimento Paroquial de Vila das Aves mensalmente o faz, há anos.

Vila das Aves, três de maio de 2016, primeira terça-feira do mês, dia litúrgico da Festa dos Apóstolos São Filipe e São Tiago.

Padre Fernando de Azevedo Abreu

Foto n.º1
Foto n.º1
Foto n.º2
Foto n.º2

Comments are closed.