É uma daquelas obras que nasce do grande coração de um homem que recebeu, cultivou e fez crescer uma quinta onde hoje se instala alguns dos principais equipamentos sociais da Vila das Aves. Entre estes equipamentos está o Lar de Idosos designado LAR FAMILIAR DA TRANQUILIDADE.

António Martins Ribeiro, nasceu em 19 de Setembro de 1880 e morreu em 24 de Novembro de 1966, tendo constituído como sua herdeira universal a Comissão Fabriqueira da Paroquia de S. Miguel das Aves em 13 de Janeiro de 1955, exigindo que se fizesse um asilo para os velhos da terra. Esta grandeza de alma, manifesta no desejo expresso na morte e no exemplo deixado em vida. Esta obra que viria a ser o Lar de muitos e o espaço de convívio nos calmos dias do fim da vida, para quem ao longo dos muitos anos, a quase totalidade em fábricas têxteis, lutou pela vida e contra as limitações da pobreza.

O Lar da Tranquilidade, fundação de direito canónico desde 7 de Março de 1990, viu em 1 de Abril do mesmo ano entrarem os primeiros 12 utentes para o Lar e os primeiros 25 utentes para o Centro de Dia, tendo a inauguração oficial ocorrido no dia 20 de Outubro de 1990.

Actualmente a Instituição tem 3 valências com acordos com a Segurança Social. Um Centro de Dia com capacidade para 20 utentes, um Lar para 50 utentes e um Serviço de Apoio Domiciliário para 30 utentes. Dispõe ainda, de um Centro de Apoio – Centro de Apoio António Martins Ribeiro – inaugurado no dia 01 de Abril de 2000. Este Centro está equipado com piscina, ginásio, hidroterapia, jacúzzi, sauna e 4 quartos de casal e 1 individual para repouso temporário.

A actividade e o convívio são fundamentais no bem-estar dos utentes e na construção de uma vida feliz. Assim, e na vida quotidiana da instituição os idosos podem usufruir de um excelente espaço verde, de uma quinta com várias pequenas hortas, de espaços de ateliers para tapeçaria, pintura e trabalhos em madeira. Claro que, para além destes espaços, a Instituição dispõe de um conjunto de actividades sócio culturais, onde se incluem iniciativas de grande valor, como sejam o piquenique dos Santos Populares, que reúne cerca de 500 pessoas de mais ou menos uma dezena e meia de instituições do distrito do Porto e sul do distrito de Braga, onde às sardinhas e ao caldo verde se junta o desfile das marchas populares preparadas e ensaiadas em cada instituição participante, pelos seus utentes. As Feira de Artesanato a Exposição de Arranjos Florais, entre outras.